segunda-feira, 16 de outubro de 2017

04:53:00

Pilates para fins terapêuticos




A indicação do método
Pilates para fins terapêuticos tem crescido bastante. Isso porque os exercícios são progressivos, realizados de forma criteriosa e regular, obedecendo a sequências programadas de modo personalizado, tendo baixo impacto nas articulações e não causando desgaste muscular, ajudando, assim, na prevenção e no tratamento de diversas doenças.

Para facilitar a vida de profissionais que usam (ou querem usar) o Pilates para fins terapêuticos, a VOLL Pilates fez uma Coletânea com 5 livros digitais, com informações avançadas sobre o tratamento de patologias com o Método Pilates.

Os livros são:





Livro 1 – Pilates nas Disfunções do Quadril

Anatomia e Biomecânica da Cintura Pélvica

Patologias do Quadril

Biomecânica e Aplicações do Pilates

Prescrição de Exercícios para o Quadril

Exercícios de Solo, Barrel, Chair, Cadillac e Reformer

Referências Bibliográficas

Autora: Lorena dos Santos Rios
Fisioterapeuta, CREFITO-7: 13-448F

167 páginas e 65 exercícios



Livro 2 – Pilates nos Desvios Posturais

Coluna Vertebral e Postura

Sistemas de Equilíbrio do Tronco

Alterações Posturais

Terapêutica Postural Aplicada ao Pilates

Exercícios de Solo, Barrel, Chair, Cadillac e Reformer

Referências Bibliográficas

Autora: Ana Paula de Sousa Pereira
Fisioterapeuta, CREFITO-14: 183-031F

174 páginas e 97 exercícios

 

Livro 3 – Pilates nas Patologias Neurológicas

Anatomia e Funcionamento Normal

Controle Motor

Principais Patologias

Avaliação Geral

A prática do Método Pilates — Exercícios

Referências Bibliográficas

Autora: Karla Vergaças Seleme
Fisioterapeuta, CREFITO-3: 121-017F

214 páginas e 64 exercícios




Livro 4 – Pilates nas Patologias do Joelho

Pilates na Síndrome da dor Patelofemoral

Lesão meniscal

Gonartrose ou Osteoartrose do Joelho

Propriedades do Ligamento

Anatomia e biomecânica do Pé

Exercícios de Solo, Barrel, Chair, Cadillac e Reformer

Referências Bibliográficas

Autora: Érika Cássia Barroso Batista
Fisioterapeuta, CREFITO-3: 167-261F

165 páginas e 69 exercícios

 

Livro 5 – Pilates nas Patologias do Ombro

Biomecânica

Músculos

O Manguito Rotador e a Estabilização

Síndrome do Impacto

Exercícios de Solo, Barrel, Chair, Cadillac e Reformer

Referências Bibliográficas

Autora: Aline Cristina Longhini Alberti
Fisioterapeuta, CREFITO-3: 173-719F

222 páginas e 75 exercícios

Estes livros são um investimento em você!

Clique aqui e saiba mais!


Para manter a saúde e o bem-estar, cada vez mais as pessoas têm optado por tratamentos que vão além dos remédios, e os próprios médicos já vêm recomendando a prática de atividades físicas para o tratamento de diversas patologias. O Pilates é uma ótima opção para esses tratamentos. Use e abuse!

04:39:00

Atividades de uma profissional da Estética



O profissional de Estética poderá atuar em diversos segmentos, como, por exemplo: higienização, hidratação, revitalização da pele, drenagens linfáticas, terapias capilares, tratamentos pré e pós-operatórios que necessitem de tratamentos estéticos, consultorias, grupos de pesquisas, gerenciar o seu próprio negócio relacionado ao segmento da estética.

As atividades que um profissional da área de Estética pode realizar, citamos algumas:
  • Realizar tratamentos e aplicar técnicas contra o envelhecimento precoce, manchas e rugas.
  • Aplicar massagens e drenagens linfáticas.
  • Prevenir a calvície.
  • Tratar e hidratar o couro cabeludo e fios.
  • Realizar limpeza de pele, maquiagem e design de sobrancelhas.
  • Operar equipamentos que utilizam laser.
  • Realizar tratamentos através de eletroterapia e radiofrequência.
  • Realizar tratamentos para amenizar os desconfortos causados por intervenção cirúrgica.
Alguns tratamentos estéticos possuem uma continuidade, sendo necessárias algumas sessões.

Veja 6 cursos online para enriquecer o curriculo de quem trabalha com estética:

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

08:08:00

CDs específicos são bons para atualização de estudantes



A missão do Quero Conteúdo é indicar bons materiais para estudo em diferentes áreas de atuação. Para isso, há alguns cursos que indicamos porque nossos editores foram convidados a fazer, outros porque são parceiros de trabalho e de elaboração de cursos e outros porque acreditamos e conhecemos a qualidade do professor.

Um bom site para atualização de estudantes e profissionais é o CDs Universitários. A ideia deles é bem legal. Eles separaram vários assuntos em várias áreas de atuação profissional e produziram/pesquisaram material para cada assunto. Essa pesquisa virou CDs de vários assuntos que eles comercializam com entrega pelos correios ou online. A entrega online é feita por download via Google Drive.

Eu achei a ideia bem legal porque poupa tempo de avaliação do material já que a especialidade (e a grande sacada) dos caras é a disponibilização de bons materiais.

O site deles é o www.cdsuniversitarios.net e tem CDs com assuntos de Educação Física, Fisioterapia. Odontologia, Contabilidade, Medicina Veterinária, Enfermagem dentre outros. É bem diversificado.

Até a próxima!


quinta-feira, 5 de outubro de 2017

04:11:00

6 cursos online para estudantes e profissionais de Engenharia



Segundo o Wikipedia, Engenharia é a aplicação do conhecimento científico, econômico, social e prático, com o intuito de inventar, desenhar, construir, manter e melhorar estruturas, máquinas, aparelhos, sistemas, materiais e processos. É também profissão em que se adquire e se aplicam os conhecimentos matemáticos e técnicos na criação, aperfeiçoamento e implementação de utilidades que realizem uma função ou objetivo.

Portanto, há mais de 30 especialidades dentro desta profissão. Claro que há uma intersecção entre essas especialidades e muitas vezes elas trabalhm juntas. Mas para o estudante decidir qual delas seguir, precisa ter informação e conteúdo para que saiba o que terá que enfrentar no mercado de trabalho.

Em muitas especialidades, a atualização pode vir através de cursos online. Assim poupa-se tempo e dinheiro de deslocamentos, por exemplo.

Abaixo, está a indicação de 6 bons cursos online de assuntos da engenharia não tão comuns. Para saber mais informações, basta clicar no titulo do curso.

Curso de Robótica e Automação Residencial

Neste curso você aprenderá a montar robôs autônomos que desviam obstáculos, braços robóticos e carrinhos robôs controlados por smartphone ou tablet, além de aprender como...

Curso de Engenharia Econômica: métodos de análise de investimentos

Todas as empresas, sejam elas públicas ou privadas, necessitam realizar análises de viabilidade econômica para seus projetos de investimentos. O estudo da viabilidade econômica...

Curso Online de Toxicologia Ambiental

Descrição do curso: Estude e entenda melhor esta ciência que foca nos efeitos danosos de substâncias químicas. Dessa forma, o aluno se torna apto a identificar as fontes poluidoras...

Curso Online de Gestão de Projetos

Descrição do curso: O curso Gestão de Projetos oferece diferenciais para que você visualize oportunidades, desenvolva novos produtos, serviços ou estratégias. Você aprenderá métodos...

Curso Online de Acessibilidade

Descrição do curso: O curso Acessibilidade por meio da Educação a Distância oferece aos participantes o conhecimento sobre a Lei da Acessibilidade e muito mais.Conteúdo Programático:Introdução;...

Curso Online de Práticas de Sustentabilidade

Descrição do curso: O objetivo deste curso é chamar a atenção do participante para a importância que possuímos na busca pela preservação do ambiente. São apresentadas diversas...



segunda-feira, 21 de agosto de 2017

10:19:00

Saiba mais sobre a Pericia Veterinária




Todas as atividades que envolvem a Medicina Veterinária estão sujeitas a questionamentos que muitas vezes levam à necessidade dos serviços de um médico veterinário perito.

Como perito, o médico veterinário utiliza seus conhecimentos profissionais para confeccionar laudos e pareceres, prestando informações técnico-científicas relacionadas aos animais e produtos de sua origem, meio ambiente e/ou saúde pública, buscando sempre esclarecer os fatos para auxiliar as partes interessadas, ou o órgão julgador, a formar uma convicção justa (sob o ponto de vista jurídico).

O perito também pode atuar na investigação de problemas existentes no documento de identificação de um animal, esclarecendo palavras que levem a interpretações dúbias ou que não retratem a real situação do bicho; na investigação de crimes contra animais; no sumiço ou na mortandade de integrantes de rebanhos existentes em determinadas propriedades (como em casos ocorridos após invasões de terras); na inspeção da qualidade de produtos de origem animal; e na reprodução animal. Neste último caso, geralmente são realizadas análises de fertilidade de indivíduos comercializados.

A perícia veterinária criminal busca a elucidação de crimes. Ela é realizada por servidores públicos (previamente aprovados em concurso público), os conhecidos peritos oficiais. Quando não há disponibilidade de peritos oficiais, o juiz pode nomear dois profissionais idôneos (que inspirem confiança ao magistrado) e, de preferência, com especialização na área.

Já a perícia veterinária civil objetiva o cumprimento de um direito. Nesse caso, o perito veterinário é um prestador de serviços (sem vinculação de emprego) e também é nomeado pelo julgador.

Aprenda passo a passo a executar perícia veterinária, elaboração de laudo, parecer técnico, como ser indicado nas varas, formatação de laudo, petições etc. Conheça esse EBOOK sensacional.
08:10:00

Como desenvolver o hábito de estudar todos os dias

 

Quem quer prestar um concurso público não pode perder tempo: cada minuto conta na hora de estudar!

O fato é que é preciso criar o hábito de estudar todos os dias, mas isso pode ser um desafio bem grande para muitos.

Mas tudo é uma questão de hábito. Você sabia que todo hábito pode ser mudado? Um hábito é sempre proveniente de uma decisão que virou um comportamento automático.

Assim, a regra de ouro para criar um novo hábito é manter a deixa, oferecer a mesma recompensa, inserindo uma nova rotina.

Exemplo 1: Quando você cria o hábito de ir à academia, passa a se alimentar melhor, dormir mais cedo ou com horas necessárias ao seu descanso, fazer escolhas mais saudáveis, e até o seu modo de pensar muda.

Exemplo 2: Quando você cria o hábito de estudar todo dia, fica menos ansioso quanto à prova, organiza melhor seus horários e faz a gestão do seu tempo, passa a ler mais e a ter um vocabulário maior, aumenta a sua capacidade de reconhecer erros e falhas de todos os tipos, bem como seus pontos fortes, faz escolhas mais assertiva para, reconhece necessidades pessoais (como se alimentar, descansar e se entreter), e muito mais.

O livro aponta ainda um pequeno passo a passo poderoso para efetivar a mudança de hábito - inclusive para o hábito de estudar todo dia:

Passo 1 - Identifique a rotina;

Passo 2 - Experimente recompensas interessantes;

Passo 3 - Isole a deixa (o gatilho que leva ao hábito) - identifique um padrão com hora, lugar, estado emocional, etc. - utilize a psicologia ao seu favor;

Passo 4 - Tenha um plano;

Passo 5 - Execute sem ficar encontrando desculpas e outras resistências - foque na execução.

Faça uma análise rápida: quais os hábitos resistentes e destrutivos que você possui hoje na sua rotina e que afetam negativamente os seus estudos para o concurso público? O primeiro passo é identificar estas ações contínuas e nocivas para o seu estudo. Os hábitos só podem ser mudados quando compreendidos.

Ter hábitos assertivos bem definidos é o segundo passo para otimizar a sua preparação para o concurso público. Ao identificar o que precisa ser mudado, você pode analisar também de que forma isso poderia ser feito com foco em atitudes que gostaria de ter diariamente. E quando é possível criar um novo hábito ou o hábito de estudar? Agora mesmo, desde que compreenda quais são os hábitos ruins e como substitui-los.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

06:38:00

Atuação da Fonoaudiologia no Hospital

 

Todo fonoaudiólogo deve lutar pelo reconhecimento das várias especialidades.  Uma dessas especialidades que está em franco crescimento é a Fonoaudiologia Hospitalar. É preciso falar sobre as formas de ação, de atuação e lembrar sempre que a Fonoaudiologia Hospitalar difere da Ambulatorial, caracterizando-se pela intervenção a pacientes com sintomas de injúrias ainda não instalados.

As ações do fonoaudiólogo hospitalar incluem formas preventivas, precoces, intensivas pré e pós-cirúrgica, dando inclusive respaldo técnico e prático à equipe multiprofissional onde atua, esclarecendo que o objetivo maior é impedir ou diminuir as seqüelas nas formas de comunicação que a patologia-base possa deixar.

No berçário de risco, a fonoaudiologia promove ganho de peso, instalação de funções estomatognáticas de forma adequada, minimizando riscos de seqüelas, no desenvolvimento global, incentivo ao aleitamento materno bem como diagnóstico e prevenção de perdas auditivas.

Devido à complexidade de sua forma e função, se diferencia da fonoaudiologia clínica, escolar, ocupacional e estética, pois requer conceitos das seguintes especialidades médicas e de reabilitação: gastroenterologia, neurologia, pediatria, neonatologia, cardiologia, pneumologia, otorrinolaringologia, geriatria, radiologia, psicologia, terapia ocupacional, fisioterapia, enfermagem, farmacologia e nutrição.

Neste grande quadro que forma o serviço hospitalar, o fonoaudiólogo tem a mais importante e difícil função interdisciplinar, que é unir estes profissionais e relacioná-los ao paciente e a família.

Esta função é subjetiva, uma vez que não é imposta, mas percebida de forma espontânea e circunstancial, em face do conhecimento que o fonoaudiólogo necessita e busca de cada especialidade, procurando simultaneamente informar e conscientizar estes mesmos profissionais a respeito do seu papel.

O atendimento fonoaudiológico ao paciente internado é emergencial: deve ser rápido e intensivo, deixando de ser hospitalar quando ocorre a alta, tornando-se, então, clínico.

Se você quiser saber mais sobre essa especialidade, não pode perder o curso de Fonoaudiologia Hospitalar do Portal Educação. Clique aqui para saber mais.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

09:10:00

O que acontece quando a psicomotricidade não é desenvolvida de maneira eficaz?


A psicomotricidade
é conceituada como uma ação de finalidade pedagógica e psicológica a utilizar os parâmetros da educação física com a intenção de melhorar o comportamento da criança com seu corpo. Há quem defina a psicomotricidade como uma ciência que estuda o indivíduo por meio de seu movimento e a interação social.

É inegável que a falta de um acompanhamento da psicomotricidade acarreta consequências danosas ao desenvolvimento da criança. Um dos casos que podem ser notados é a lateralidade pouco trabalhada no aluno. Isso pode causar problemas de ordem espacial, por exemplo.
A utilização dos termos direita e esquerda fica prejudicada. O pequeno apresenta certa dificuldade para acompanhar a direção gráfica de leitura e escrita. Outro problema é o fato de a criança encontrar obstáculos quanto ao entendimento na distinção de letras específicas como 'p' e 'b', entre vários transtornos que podem aparecer no período pré-escolar.
Muitas pessoas pensam equivocadamente que a psicomotricidade esteja relacionada somente ao movimento, mas não é isso. Um estudo definiu muito bem qual o valor de todo esse processo, no qual diz que "a motricidade é a faculdade de realizar movimentos e a psicomotricidade é a educação de movimentos que procura melhor utilização das capacidades psíquicas". Ou seja, o ato de movimentar-se está diretamente ligado ao aspecto mental.
A educação infantil precisa estimular o desenvolvimento psicomotor da criança. Faça o curso de Psicomotricidade na Educação Infantil do Portal Educação e saiba como estimular a prática de movimentos corporais por meio de atividades, jogos e brincadeiras.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

05:08:00

Saiba mais em Enfermagem em Imunização


No Brasil, as primeiras experiências com vacinação datam de 1904, com a introdução da vacina antivariólica no Rio de Janeiro, de forma obrigatória, em caráter campanhista, chefiada por Oswaldo Cruz. Até 1973, as atividades relativas às vacinas eram caracterizadas pela descontinuidade e pela forma isolada em que aconteciam. Eram ações conduzidas em forma de programas especiais como o da erradicação da varíola, controle da tuberculose e o controle da poliomielite. Não havia uma coordenação nacional, os programas eram desenvolvidos através dos Governos Estaduais.
Em 1973, o Ministério da Saúde criou o Programa Nacional de Imunizações (PNI), como forma de coordenar, nacional e uniformemente, as ações referentes à vacinação. A institucionalização do PNI aconteceu em 1975, em decorrência de uma soma de fatores. A experiência positiva da erradicação da varíola no Brasil, em 1973, foi um desses fatores. Outro acontecimento de grande importância foi a elaboração do Plano Decenal de Saúde para as Américas, o qual enfatizava a necessidade de controlar as doenças evitáveis por imunização no Continente. A criação da legislação específica para imunizações e vigilância epidemiológica (Lei 6259, de 30-10-75, e Decreto 78.231, de 30-12-76) também contribuiu de forma decisiva para a institucionalização do PNI.
Com isso, o enfermeiro passou a ter um papel reconhecido em todo o processo e deve desenvolver ações educativas em saúde em todo e qualquer contato com a população. Nesse sentido, as ações de vacinação devem ser abordadas e discutidas com a comunidade, de forma a possibilitar a capacitação dos indivíduos ou grupos a ajudarem na melhoria da saúde da população.

Na sala de vacinação as atividades devem ser desenvolvidas por uma equipe de enfermagem treinada para o manuseio, conservação e administração dos imunobiológicos. Essa equipe deve ser composta, preferencialmente, por um ou dois técnicos/auxiliares de enfermagem, contando com a participação de um enfermeiro, responsável pela supervisão e treinamento em serviço. Para tal supervisão é exigido ao enfermeiro a Responsabilidade Técnica (RT) pelo serviço, o que está estabelecido na Resolução Nº 302 de 2005 do Conselho Federal de Enfermagem.

As principais responsabilidades do pessoal que trabalha em sala de vacinação são: orientar e prestar assistência à clientela com segurança, responsabilidade e respeito; prover periodicamente as necessidades de material e imunobiológicos; manter as condições ideais de conservação de imunobiológicos; manter os equipamentos em boas condições de funcionamento; acompanhar as doses de vacinas administradas de acordo com a meta; buscar faltosos; divulgar os imunobiológicos disponíveis; avaliar e acompanhar sistematicamente as coberturas vacinais e buscar periodicamente atualização técnico-científica.

O enfermeiro tem um papel fundamental no Programa de Imunizações, porque é dele a responsabilidade de treinar o pessoal auxiliar para o desempenho das atividades de vacinação e de realizar a supervisão desse pessoal. A qualidade do serviço prestado em sala de vacinas depende basicamente da forma de atuação dos enfermeiros e auxiliares de enfermagem. Além das atividades ligadas ao pessoal auxiliar, o enfermeiro desempenha também ações ligadas ao planejamento das ações de imunizações, como estratégias de busca aos faltosos, organização de campanhas de vacinação, análise de coberturas vacinais, vigilância epidemiológica das doenças imunopreveníveis, entre outras.

No curso Enfermagem em Imunização você aprende a história e políticas da saúde no Brasil. Saiba como identificar situações emergenciais, conservar medicamentos e identificar os tipos de imunização para prevenir doenças.

Popular

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Contato

Contato

Newsletter