segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Saiba mais sobre a Audiologia Clínica



A Audiologia Clínica, como o nome sugere, abrange a intervenção em clínicas de Fonoaudiologia e atende pacientes em um contexto bastante abrangente. Inclui pessoas de todas as idades, do nascimento à velhice, e patologias, tanto congênitas quanto adquiridas.

A audiologia é um ramo da fonoaudiologia que estuda a audição e os sons. O sistema auditivo nos permite monitorar os eventos ambientais, além de processar eventos acústicos que nos fornecem informações como a fala, a comunicação de forma geral e o processamento do pensamento.

E tudo isso pode ou não nos levar a uma situação de bem estar, dependendo do ambiente e como as informações do meio externo estão sendo processadas em nosso organismo.

O som é a energia vibratória transmitida por ondas de pressão no ar ou outro meio que o propague, pode ser água, pedra ou metal. A audição é a percepção desta energia, chamamos de fenômeno psicoacústico.

O som ocorre em meio elástico, propagando em formas de ondas ou oscilações mecânicas, longitudinais e tridimensionais. Ele pode se propagar em vários meios: sólido, líquido, gasoso ou na luz.

Para nós o que interessa é a propagação do som no ar, porque é o meio que estamos expostos. A elasticidade do meio irá contribuir para que o som seja transmitido de maneira mais fácil e rápida ou de maneira mais difícil e devagar. A velocidade do som no ar é definida como o resultado do deslocamento das moléculas de ar em determinado intervalo de tempo.

Quanto maior a temperatura e a umidade, maior a velocidade do som e quanto maior a altitude, menor a velocidade do som.

A qualidade do som também é muito importante, pois relacionada a frequência, encontramos a altura que nos permite classificar o som em grave e agudo. Ainda com referência a qualidade sonora, a intensidade está relacionada com os sons fortes e fracos. Em contrapartida temos também o timbre, que não é qualidade do som, mas da fonte sonora.

Trabalhar com conservação auditiva possibilita a relação da sensação auditiva com as propriedades físicas de um estímulo sonoro. Motivo pelo qual a importância de assimilar todo o conteúdo visto até agora, para que o procedimento de elaboração do documento base do PCA seja feito de forma responsável e segura.

CLASSIFICAÇÃO DA PERDA AUDITIVA - QUANTO A LOCALIZAÇÃO DA LESÃO

A) Condutiva: lesão na orelha externa ou média
B) Neuro sensorial: lesão na orelha interna, nervo coclear
C) Central: lesão das vias auditivas a partir do tronco cerebral até o córtex.

2- QUANTO AO GRAU DE COMPROMETIMENTO

A) Leve: 26 à 40 dB (crianças em idade pré-escolar e nível primário – 16 à 40 dB)
B) Moderada: 41 à 70 dB
C) Severa: 71 à 90 dB
D) Profunda: maior que 90 dB  

3 – QUANDO OCORREU O DANO

A)    Pré-natal
B)    Peri-natal
C)    Pos-natal

A audiologia clínica dedica-se a auxiliar indivíduos com problemas auditivos centrais ou periféricos. Dispomos atualmente de uma serie de exames que possibilitam a varredura de todo o sistema auditivo dede a orelha externa ate a córtex  auditiva

A maioria dos fonoaudiólogos entra na faculdade com o objetivo de ter aquele contato direto com o paciente, com aquela vontade de fazer parte do seu desenvolvimento, de ajudá-lo a se superar. Portanto, é difícil encontrar estudantes ou profissionais que não conheçam essa area.

O curso "Audiologia Clínica" tem com o objetivo atualizar os profissionais Fonoaudiólogos ou estudantes de Fonoaudiologia a respeito das técnicas e interpretações hoje utilizadas para análise dos achados audiológicos vinculados à audiometria total, logoaudiometria, medidas de Imitancia Acústica (incluindo novos métodos de investigação), embasamento e aplicação prática do mascaramento, interpretação de casos clínicos reais e confecção do laudo audiológico. Clique aqui e saiba mais!

Popular

Contato

Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Newsletter