terça-feira, 16 de outubro de 2018

Atuação da Enfermagem numa Ferida

Imagem relacionada

Diagnosticar a causa subjacente da ferida é uma parte essencial da avaliação pelo enfermeiro. Somente após a realização deste diagnóstico que pode-se tratar uma ferida. É preciso avaliar o leito da ferida e a pele peri-lesionada. Após concluir essas avaliações, poderá escolher o melhor curativo.
A equipe de enfermagem desempenha um papel importante no tratamento de feridas sendo que 80% dos casos são acompanhados a nível primário ou ambulatorial onde a realização dos curativos é feita  pela equipe de enfermagem em um processo dinâmico e gradativo, sendo necessário domínio no conhecimento teórico para um acompanhamento e tratamento eficaz, pois a  escolha de um tratamento equivocado pode prolongar ainda mais o tratamento da ferida.

Ao avaliar e relatar feridas, você deve observar o seguinte:
  • Localização, tamanho e tipo da ferida
  • Características do leito da ferida, tais como tecido necrótico, tecido de granulação e infecção
  • Odor e nível de exsudato (ausente, baixo, moderado, alto)
  • Condição da pele peri-lesionada (normal, edematosa, branca, brilhante, quente, ruborizada, descamada, fina)
  • Sinais clínicos de infecção da ferida (cicatrização lenta, odor, tecido de granulação anormal, aumento da dor na ferida e/ou exsudato excessivo).
  • Dor em ferida (localização, duração e intensidade da dor, classificação como nociceptiva ou neuropática).
Condição da ferida e da pele

Necrose

A presença de tecido morto (necrótico) em uma ferida é um sinal de que o processo de cicatrização não está ocorrendo normalmente. Leia mais sobre desbridamento de tecido necrótico

Pele perilesionada

A pele que circunda uma úlcera é vulnerável. Isso pode estar associado à idade, a processos patológicos, bem como à exposição da pele à exsudação de feridas ou a curativos adesivos. Leia mais sobre pele perilesionada.

Exsudato da ferida

Independentemente de apresentar um nível de exsudato baixo, médio ou alto, a absorção e o controle do exsudato na ferida são essenciais para sua cicatrização. Aprenda mais sobre exsudato de ferida

Infecção de ferida

Todas as feridas contêm bactérias - mesmo as que estão cicatrizando normalmente. Mas, caso a contagem de bactérias aumente, a ferida pode ser infectada. Aprenda mais sobre o tratamento de feridas infectadas

Dor em ferida

Estudos indicam que mais de 80% dos pacientes com feridas crônicas sentem dor constantemente e metade deles classifica a dor entre moderada e aguda. (1-6)

As lesões crônicas mais comuns são:

  • Úlceras vasculogênicas (venosas,arteriais ou mistas);
  • Pé diabético;
  • Lesão por doença autoimunes;
  • Estomas;
  • Feridas oncológicas;
Em modo geral a característica do tecido encontrado na ferida nos mostra a recuperação ou a piora da ferida com potencial de impedir novo crescimento celular dificultando o processo de cicatrização. Alguns tecidos podem ser vitalizados quando vascularizados apresentam-se de cor viva, clara, brilhante e sensível a dor. Muitas feridas podem apresentar tecidos mistos , devendo ser levado em consideração o tecido predominante no leito da lesão.
A cicatrização é um processo sistêmico, isso significa que depende do organismo como um todo. Por tanto, o profissional de saúde deve se concentrar na avaliação holística do paciente ou seja em seu estado nutricional,  emocional,psicossocial e ambiental evitando focar-se apenas  na ferida, cabendo-lhe tirar dúvidas e esclarecer a importância de hábitos de vida saudáveis como higiene e controle rigoroso de doenças de base como HAS e DM.
Conheça o curso de Tratamento e Avaliação de Feridas que você irá aprender a tratar e avaliar feridas, 16 aulas divididas em 5 módulos. Clique aqui e saiba mais.

Popular

Contato

Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Newsletter