quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Educação Física e o processo de inclusão escolar

 

A Educação Física pode significar melhorias para a sua qualidade de vida, por proporcionar prazer e ser entendida como uma prática que não desconsidera sua deficiência e seus limites, mas sim, evidencia a sua eficiência e possibilidades.

Com o desenvolvimento de uma Educação Física inclusiva às pessoas com deficiência, poder-se-ia demonstrar à sociedade que todo cidadão, com ou sem deficiência, é capaz de viver com seus limites, praticando alguma atividade física, sem que as pessoas os olhem com compaixão e evitem qualquer forma de exclusão. Dessa maneira, pode-se considerar que esse seria um procedimento acertado e capaz de ampliar suas possibilidades nos campos físico, social, político e cultural.

Valores como determinação, cooperação, autossuperação, autoconfiança, autoestima, socialização, bem como habilidades motoras e cognitivas, podem ser referenciados pela prática da atividade física. Ao trabalhar com a pessoa com deficiência, é indispensável que ocorra uma intervenção visando o oferecimento de uma Educação Física que os conscientize de suas dificuldades ocasionadas pelas deficiências, mas que os faça desvelar as possibilidades e motivá-los na busca de melhorias para a adoção de procedimento que lhes proporcione uma melhor qualidade de vida, facilitando suas atividades cotidianas.

A Abordagem sobre a inclusão de crianças com necessidades especiais na Educação Física no âmbito escolar envolve aspectos de uma cultura educacional e social, e traz diversos problemas de inclusão na Educação Física Escolar.

Segundo Góes (2005) os estudos apresentam pequena inserção de crianças com necessidades especiais na classe regular. A pergunta que pode ser realizadas na sequencia é: se na classe regular há pouca inclusão, como está a realidade quando se trata da Educação Física na escola ? Outro destaque inicial se volta para a escassez de estudos da área da Educação Física e inclusão escolar, bem como a necessidade atual de estudos nessa área ao considerar os aspectos legais e educacionais.

Por outro lado a importância da Educação Física para a construção da educação inclusiva passa por um processo de adaptação, as atividades desenvolvidas que apresentam um grau de determinação menor do que outras disciplinas, desenvolvendo a interação do aluno para as práticas propostas pelo professor (RODRIGUES, 2003).

O professor de Educação Física deve ir além do seu próprio conhecimento, ensinar ao desconhecido estimulando sempre, a criatividade dos alunos, e perante a si mesmo, desafiando–se a resolução de problemas, com a cooperação no desenvolvimento de tarefas, criando uma ampla descoberta de movimentos (idem, 2003).

É necessário que o professor coloque seus alunos como prioridade, e assim utilizando técnicas de aprendizado para adequar a demanda. Que seus alunos vivenciam e aprendam durante suas aulas. Segundo Rodrigues (2003, p. 77): "Assim, aparentemente a EF seria uma área curricular facilmente inclusiva devido á flexibilidade inerente aos seus conteúdos o que conduziria a uma maior facilidade de diferenciação curricular".

Ou seja, o professor de Educação Física é visto perante aos seus alunos com um símbolo de ações positivas, do que o restante dos outros professores. Devido às atividades propostas com êxito e planejamento atendendo a necessidade da turma, e que levam os alunos a terem uma vivência prazerosa por parte da Educação Física, com atitudes favoráveis à inclusão que ajudam a resolução de problemas e encontram soluções mais facilmente para casos difíceis.

Com esta imagem positiva do professor de Educação Física defende-se que ele tem um papel fundamental para sanar a exclusão, e introduzir a inclusão de alunos portadores de necessidades especiais no âmbito escolar, por isso, mais frequentemente o professor é solicitado para participar de projetos de inovação na escola, atendendo assim às necessidades.

Se você quiser se aprofundar neste assunto precisa conhecer as Aulas de Educação Física para Alunos Especiais e o ebook Atividades Físicas de Alunos Especiais. São duas excelentes opções para quem trabalha com Educação Física Escolar  para alunos com necessidades especiais.

Bibliografia:

GÓES,M. C. R. Desafio da inclusão de alunos especiais: a escolarização do aprendiz e sua constituição como pessoa. In GÓES, M. C. R. e LAPLANE, A. L. F. Políticas e práticas de educação inclusiva. Campinas, SP: Autores Associados, 2005. p. 69-92.

RODRIGUES, David. A Educação Física Perante a Educação Inclusiva: reflexões conceptuais e metodológicas. Rev. da Educação Física/ UEM Maringá, v. 14, nº 1, p. 67 – 73. 2003.

Popular

Contato

Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Newsletter