quarta-feira, 18 de julho de 2018

Conhecendo a Ortopedia Veterinária


A ortopedia veterinária conta com especialistas cada vez mais aptos a solucionarem os problemas ortopédicos, desde as fraturas mais simples até as mais complexas.
A ortopedia vem utilizando princípios, métodos e tecnologias cada vez mais sofisticados, como por exemplo, o uso dos exames de diagnóstico por imagem, com uma vasta gama de aparelhos e técnicas cirúrgicas cada vez mais aprimoradas.
Dentro desse contexto podemos encaixar algumas situações que contam com cautela e profissionalização dos envolvidos como, por exemplo, as imobilizações externas, métodos de diagnóstico das principais moléstias osteo-articulares, artrotomia do joelho (ligamento cruzado, luxação de patela), cicatrizações de lesões que necessitaram de intervenção cirúrgica, dentre outros.
Ossos quebrados, tombos e acidentes com atropelamentos, qualquer pet com ossos pode estar sujeito a algum tipo de problema dessa natureza. A ortopedia veterinária atua expansivamente em complicações como fraturas, traumas, artroses e outros. O intuito é preservar a saúde do animal, aliviando as dores causadas por problemas ósseos e melhorando a qualidade de vida desses tão importantes seres em nossas vidas.
As especialidades revolucionaram o atendimento veterinário, sobretudo nos últimos 20 anos, proporcionando mais saúde e bem estar aos animais, bem como demanda por profissionais qualificados.
Uma das que mais se destacam é, sem dúvida, a ortopedia.
Antes, por falta de recursos e conhecimento dos profissionais, o animal era eutanasiado, em casos de traumas e lesões ortopédicas.
Com essa mudança e em franco crescimento, a área da ortopedia veterinária é um ótimo ramo para quem tem interesse em se destacar no mercado, mas para isso é essencial à busca por conhecimentos e atualizações.
Alguns problemas que a Ortopedia na Veterinaria, junto com a Fisioterapia Veterinária vai atuar:
· Artrose: inicialmente diagnosticada como uma doença exclusivamente humana, hoje é possível encontrar vários animais com alterações degenerativas na cartilagem articular, apresentando lesões na coxofemoral, coluna vertebral, joelho e cotovelo. Tornando-se relutantes em realizar tarefas simples da rotina animal como levantar, andar, brincar, correr, subir sofás, escadas e outros, modificando seu espirito natural de alegria por tristeza e quietude.

· Displasia Coxo-femoral: doença caracterizada pela degeneração da articulação da bacia com a cabeça do fêmur. Traz complicações na mobilidade do animal, dificultando sua caminhada, corrida e pulo. Costuma acometer animais de médio e grande porte.

· Ruptura do ligamento cruzado: Uma das afecções mais presentes e estudadas na ortopedia animal. Normalmente acometida por uma ruptura crônica por fadiga progressiva das estruturas do joelho.

· Luxação de patela: mais conhecida como rótula em humanos, a luxação de patela animal é oque guia a ação do músculo do quadríceps na parte inferior da perna. As dores variam em graus, sendo o tratamento adequado para cada situação, desde somente dor até rotação extrema do membro e andar "agachado" dos membros posteriores.

· Fraturas/traumas: trabalha toda a esfera de reabilitação ortopédica do animal, desde cirurgia até bolsas de gelo, crioterapia, hidroterapia e termoterapia. Visando o fortalecimento, reabilitação e flexibilidade dos músculos e movimentos.

· Displasia de cotovelo: Caracterizada por uma má formação dos componentes ósseos da articulação do cotovelo resultando em um desnivelamento entre rádio e ulna ou tróclea mal formada. Os tratamentos feitos antes do crescimento completo do animal costumam trazer resultados melhores. Animais com mais de 4 anos passam por um tratamento conservativo associado com a fisioterapia animal estabilizando os sintomas e a progressão da osteoartrose.

· Necrose asséptica da cabeça do fêmur: normalmente acomete cães de pequeno porte, exibindo atrofia muscular, encurtamento do membro dolorido e dor ao movimento passivo da articulação do quadril. A cirurgia em conjunto com as ações fisioterápicas ajudam na reabilitação da vida saudável do animal.

· Síndrome do cão nadador: anormalidade de desenvolvimento de filhotes caracterizada pela dificuldade no andar. Se manifestam já nas primeiras duas a três semanas após o nascimento, observadas pela hiperextensão das articulações dos joelhos e jarrete, além da articulação coxofemoral hiperfletida bilateral. A dificuldade em manter-se em pé logo aparentam fraqueza e debilidade. Os tratamentos conservativos em conjunto com a fisioterapia costumam surtir efeitos muito positivos.

A área da ortopedia veterinária é um ótimo ramo para quem tem interesse em se destacar no mercado, mas para isso é essencial à busca por conhecimentos e atualizações.
O curso de Ortopedia Veterinária aborda exame ortopédico completo, tratamentos, principais doenças ósseas e articulares, anatomia e muito mais.

O Curso online de Fisioterapia Veterinaria vai trazer a introdução ao estudo da fisioterapia veterinária, exame clínico do paciente, tipos e métodos de fisioterapia.

Popular

Contato

Contato

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Newsletter