sexta-feira, 12 de maio de 2017

Como fazer uma Avaliação Nutricional Completa



A Avaliação Nutricional é uma avaliação a fundo de ambos os dados objetivos e subjetivos relacionados à alimentação de um indivíduo e ingestão de nutrientes, estilo de vida e histórico médico. Uma vez que os dados sobre um indivíduo são coletados e organizados, pode-se avaliar e avaliar o estado nutricional da pessoa. A avaliação leva a um plano de cuidados, ou intervenções, projetados para ajudar o indivíduo a manter a condição atual ou alcançar um estado saudável.

Não há um único parâmetro que serve como a única e melhor medida para descobrir, por exemplo, pacientes desnutridos ou pacientes com nutrição desbalanceada. Por essa razão, sempre se usa mais parâmetros para constituir uma representação do estado nutricional do paciente.

Na avaliação nutricional são considerados dados objetivos como histórico médico, exames físicos, laboratoriais (bioquímicos) e medidas antropométricas.

Além de dados subjetivos ligados à alimentação, ingestão de nutrientes, atividade física, histórico social e estilo de vida.

Com esses dados já analisados se determina o estado nutricional do indivíduo que é em síntese o resultado da ingestão, absorção e uso de nutrientes pelo organismo.

ESTADO NUTRICIONAL

Mais especificamente, o estado nutricional é o resultado do equilíbrio entre:

Ingestão de alimentos: Quantidade e variedade de nutrientes.

Gasto calórico (energético): necessidade de energia do organismo.

Além da capacidade de aproveitamento desses nutrientes pelo organismo.

Fatores emocionais, econômicos, culturais, comportamento alimentar, hábitos de exercícios físicos e doenças influenciam o resultado do estado nutricional.


Existem muitas maneiras de se conduzir uma avaliação nutricional, a ordem de execução pode variar, o importante é abranger aspectos e procedimentos, como:

A – Anamnese nutricional e clínica.

B – Exame físico para identificar distúrbios nutricionais através de avaliação clínica.

C – Antropometria para confrontar as medidas antropométricas com os protocolos adequados ao perfil do paciente.

D – Análise dos exames laboratoriais (bioquímicos).

E – Avaliação da composição corporal com os dados antropométricos e bioquímicos.

O conjunto da análise de cada um desses procedimentos permite gerar como resultado, a avaliação nutricional de uma pessoa.

A execução das etapas e o registro dos dados vão compor o atendimento nutricional.

A execução de cada um desses procedimentos possui fundamentos e técnicas próprias, como segue:

A – ANAMNESE NUTRICIONAL E CLÍNICA

Anamnese Nutricional é a entrevista clínica realizada com o paciente para obter dados para a avaliação nutricional.

São coletadas informações de seus hábitos alimentares, histórico de doenças pessoais e de familiares e qual a queixa principal do paciente.

O termo anamnese refere-se a recordatório, assim a entrevista inicial deve conduzir o paciente a relembrar fatos de sua história pessoal.

A partir desse relato é possível coletar dados clínicos e nutricionais relevantes ao diagnóstico do estado de saúde do paciente.

Um questionário complementa o a coleta de dados obtidos na entrevista e uma Ficha de Anamnese é utilizada para registrar esses dados.

É importante dispor de uma ficha de anamnese, impressa ou através de software, para anotar os dados coletados durante a entrevista.

ELEMENTOS DE UMA ANAMNESE NUTRICIONAL

Uma anamnese detalhada com elementos corretamente coletados é essencial para o diagnóstico nutricional.

Registrar os dados em ficha de anamnese é de extrema importância para análise e organização do atendimento atual e posteriores ao paciente.

Identificação do paciente:

Dados pessoais como nome completo, data de nascimento para cálculo da idade, sexo, etnia, local de nascimento, estado civil, histórico profissional, e documentos RG, CPF.

Motivação ou queixa principal:

Breve descrição da queixa que motivou a pessoa a procurar ajuda profissional.

Histórico médico atual:

Obter dados detalhados sobre a queixa principal, se for aumento de peso, por exemplo, quando iniciou, fatos pessoais que possam estar relacionados, mudanças de hábitos, etc.

Se há relato de doença ou distúrbio nutricional, anote sintomas, quando começou e evolução do quadro.

Histórico médico anterior:

Ocorrências médicas anteriores, mesmo aparentemente não relacionadas com o quadro atual, podem ajudar na análise e diagnóstico nutricional.

Histórico familiar:

O histórico familiar traz importantes informações sobre potenciais riscos de doenças hereditárias, mesmo quando não manifestada no quadro atual do paciente.

Questionário nutricional:

Em complemento a entrevista pode-se solicitar ao paciente que responda à perguntas fechadas através de respostas objetivas para coletar dados específicos.

Alguns exemplos, são sobre uso de medicamentos, quantidade e frequência de consumo de álcool, tabaco e outras substâncias, possui animais domésticos, tipo e frequência de atividade física, etc.

B – EXAME FÍSICO NUTRICIONAL

O exame físico tem por objetivo mapear  sinais clínicos que possam identificar distúrbios nutricionais.

Os procedimentos para realizar o exame físico variam em função da idade, sexo e condições do paciente.

De forma geral o exame físico nutricional avalia pressão arterial, presença de edemas, principalmente, em mãos, braços, pernas, tornozelos e pés. Além de alterações na pele, mucosas e cabelo.


C – ANTROPOMETRIA

Para análise dos dados antropométricos utilizam-se padrões de referência diferentes para crianças, adolescentes, adultos e idosos de acordo com as faixas estárias abaixo. Além de gestantes.

Quer conhecer mais sobre Avaliação Antropométrica? Leia também o nosso artigo:

>>> AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA.

Faixa etária para análise antropométrica:

Crianças: até 10 anos.
Adolescentes: 11 a 20 anos.
Adultos: 21 a 60 anos.
idosos: a partir de 61 anos.

VALORES DE REFERÊNCIA, ÍNDICE E PONTO DE CORTE

Os padrões de referência correspondem aos valores estatisticamente considerados normais para os grupos das faixas etárias, mais o grupo gestantes.

O índice é obtido a partir da razão entre medidas antropométricas, por exemplo, peso e altura ou peso e idade ou IMC.

O valor de um índice pode ser comparado com os valores padrões de referência para verificar se está dentro da normalidade, abaixo ou acima deste.

O ponto de corte é o valor limite inferior e superior do intervalo considera normal.

Os índices utilizados para avaliação antropométrica seguem recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Acesse mais informações sobre padrões de crescimento de crianças referenciados pela OMS no artigo externo "The WHO Child Growth Standards (em inglês)".

Peso/idade, altura/idade e peso/altura para crianças.
IMC para adolescente, adultos e idosos.
IMC por semana de gestação para gestantes.
Cintura/quadril para adultos.


MEDIDAS ANTROPOMÉTRICAS

Para a avaliação do estado nutricional são utilizadas as medidas de:

Peso
Altura
Circunferências de abdômen e de braço

Em complemento alguns protocolos também utilizam as medidas de:

Pescoço
Tórax
Cintura para cálculo da massa de gordura intra-abdominal e também gordura total.
Quadril
Coxa
Panturrilha
Antebraço e punho.

Além das medidas em milímetros das dobras cutâneas que permitem mensurar, com ótima aproximação, o percentual de gordura do corpo.

As medidas das dobras cutâneas são obtidas com o uso de instrumento específico, o adipomêtro, também conhecido por compasso de dobras cutâneas.

As medidas mais comumente utilizadas referem-se a:

Tríceps
Bíceps
Subescapular
Supra-ilíaca

Outras medidas de dobra cutânea também podem ser utilizadas:

Axilar média
Torácica
Abdominal
Coxa
Panturrilha Medial

De posse dessas medidas e por meio de padrões de referências que ponderam sexo, idade entre outros fatores, o Nutricionista pode estimar:

Massa corporal total (peso).
Massa corporal gordurosa (dobras cutâneas).
Massa corporal protéica (circunferências addomen e braço).

A antropometria é um método simples de fácil aplicação, não invasivo e é muito confiável para a avaliação nutricional quando executado com a técnica correta.

BIOIMPEDÂNCIA

A bioimpedância, impedância bioelétrica, é outra forma de obter os valores de percentual de gordura e a composição corporal.

Em função das propriedades condutoras e dielétricas dos tecidos biológicos quando submetidos a correntes de freqüências distintas é possível calcular as quantidades e percentuais de água, tecidos gorduroso e massa magra.

SOFTWARE ONLINE PARA NUTRICIONISTA, organize todas as etapas do atendimento nutricional.


D – ANÁLISE EXAMES LABORATORIAIS

A análise dos biomarcadores através dos exames laboratoriais ou bioquímicos é importante para diagnosticar e avaliar riscos a saúde e acompanhar a saúde do paciente.

Ao analisar os resultados dos exames laboratoriais é necessário considerar as condições clínicas e nutricionais, equilíbrio hídrico e presença de quadro inflamatório.

Para o objetivo de avaliação nutricional os exames mais frequentemente analisados são:

Proteínas: realizado por meio de dosagem sérica (quantidade da substância no sangue) para pré-albumina, albumina, proteína transportadora de retinol, etc.

Vitaminas, minerais e oligoementos (microminerais): Antes mesmo dos sinais clínicos, a análise das dosagens bioquímicas podem diagnosticar riscos para anemia e deficiências de zinco plasmático, de vitaminas C, D e do complexo B, Fósforo, Cálcio, etc.

Colesterol (perfil lipídico): para avaliação de riscos cardiovasculares analisar Colesterol total, LDL-C, HDL-C e Triglicerídeos

Glicemia (metabolismo glicídico): para identificar intolerância a glicose e risco de diabetes.

E – COMPOSIÇÃO CORPORAL

A avaliação da composição corporal, como vimos até aqui, é obtida a partir dos dados antropométricos e bioquímicos.

Diretamente relacionada ao estado nutricional e a saúde a avaliação da composição corporal é um importante indicador em qualquer fase da vida.

São inúmeros os métodos de avaliação da composição corporal, com diferentes princípios e modelos corporais.

Todos os métodos possuem indicações específicas e limitações, cabe ao profissional escolher o método mais adequado às características e condições de saúde do paciente.

A avaliação do estado nutricional possui grande importância na prática clínica, para diagnóstico de alterações nutricionais, utilizando parâmetros complementares para obter melhor precisão do diagnóstico nutricional. Conheça esse Curso Online de Avaliação Nutricional.

Popular

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Contato

Contato

Newsletter