quarta-feira, 15 de março de 2017

Pré-requisitos de boa aprendizagem da leitura e da escrita



O aprendizado é um processo complexo, dinâmico, que resulta em modificações estruturais e funcionais permanentes no SNC (Sistema Nervoso Central). As modificações ocorrem a partir de um ato motor e perceptivo, que, elaborado no córtex cerebral, dá origem à cognição.

O transtorno de aprendizagem pode ser classificado levando em conta as funções cognitivas afetadas. A importância dada aos problemas relacionados à aprendizagem tem aumentado significativamente na atualidade e isso se deve em grande parte ao fato de que o sucesso do indivíduo está ligado ao bom desempenho escolar.

Portanto, o sucesso na aprendizagem da leitura e da escrita de uma criança depende do seu amadurecimento fisiológico, emocional, neurológico, intelectual e social, ou seja, depende do contexto no qual a criança está inserida.

Na aquisição da leitura e da escrita, são necessários que estejam presentes alguns pré-requisitos.

São eles: prontidão para aprender; percepção; esquema corporal; lateralidade; orientação espacial e temporal; coordenação visomotora; análise e síntese visual e auditiva; habilidades visuais; habilidades auditivas; memória cinestésica; linguagem oral. Todos esses pré-requisitos são fundamentais, juntamente com o desenvolvimento físico emocional e intelectual para a aprendizagem.

*Prontidão para aprender –
Segundo definição de vários autores, seria o nível suficiente de preparação para se iniciar uma aprendizagem, onde as diferenças individuais correspondem às diferenças na prontidão para aprender.

*Percepção – É através dos órgãos dos sentidos que é estabelecido o contato da criança com o mundo exterior, organizando e compreendendo os fenômenos que ocorrem. Na pré-escola, todos os aspectos devem ser trabalhados: o visual, o auditivo, o tátil, o olfativo e o gustativo.

*Esquema corporal –
É uma habilidade que implica o conhecimento do próprio corpo, suas partes, movimentos, posturas e atitudes. A criança que não consegue desenvolver bem o seu esquema corporal pode ter sérios problemas em orientação espacial e temporal, equilíbrio e postura, dificuldades de se locomover num espaço ou escrever obedecendo aos limites de uma linha ou de uma folha.

*Orientação espacial e temporal – Na orientação espacial ocorre a consciência da relação do corpo com o meio. A criança que inicia o processo de alfabetização sem possuir essas noções pode apresentar problemas em sua aprendizagem;

Na orientação temporal, a criança se organiza temporalmente a partir de seu próprio tempo. Através da percepção do tempo vivido, ela adquire condições de dominar determinados conceitos como: hoje, amanhã, dias da semana, etc.

*Lateralidade – Define-se de acordo com a preferência neurológica que se tem por um lado do corpo, no que diz respeito à mão, pé, olho e ouvido. Essa preferência é importante para desenvolver diferentes atividades, incluindo a leitura.

*Coordenação visomotora – É a integração entre os movimentos do corpo (globais e específicos) e a visão. As crianças que não conseguem coordenar o movimento ocular com os movimentos das mãos terão dificuldades nas atividades que envolvem a coordenação visomotora olho-mão.

*Ritmo – Possibilita à criança, no que diz respeito à percepção dos sons no tempo. A falta dessa habilidade pode causar uma leitura lenta, silabada, com pontuação e entonação inadequadas. Na parte gráfica, as dificuldades de ritmo contribuem para que as crianças escrevam duas ou mais palavras unidas, adicionem letras nas palavras ou omita letras e sílabas.

*Análise e síntese visual e auditiva –
É a habilidade que a criança precisa ter de visualizar o todo, dividi-lo em partes e depois juntá-las para voltar ao todo. No processo da escrita, é preciso que a leitura venha antes, ou seja, a palavra deve ser ouvida, visualizada e só depois escrita. Dificuldades nessa habilidade podem apresentar problemas na formação das sílabas, na seqüência das letras, e, conseqüentemente, na formação de novas palavras.

*Habilidades visuais – É através dos olhos que, na fase pré-escolar, a criança faz a discriminação de semelhanças e diferenças, de formas e tamanhos, desenvolve a percepção de figura-fundo e a memória visual. O desenvolvimento inadequado dessa habilidade pode provocar leitura silabada, lenta, com inversões, omissões e adições de letras, sílabas ou palavras. Na escrita, pode ocasionar a execução incorreta de letras e palavras, devido à movimentação ocular errônea.

*Habilidades auditivas – É através da visão e da audição que os símbolos gráficos são recebidos e conduzidos ao cérebro para serem retidos. Deficiências na capacidade visual ou auditiva farão com que o sistema nervoso receba informações distorcidas do ambiente, dificultando a resposta do cérebro. Na pré-escola, as letras cujos sons são parecidos (f/v, t/d, p/b, etc.) devem ser estimuladas através da discriminação de sons. É necessário que se estimule também, a memória auditiva, que irá permitir a retenção e a recordação do que a criança aprendeu, sendo possível fazer a correspondência entre o símbolo gráfico visualizado e o som correspondente.

*Memória cinestésica –
Segundo Morais "É a capacidade da criança reter os movimentos motores necessários à realização gráfica. À medida que a criança entra em contato com o universo simbólico (leitura e escrita), vão ficando retidos sem sua memória os diferentes movimentos necessários para o traçado gráfico das letras".

*Linguagem oral –
Constitui um pré-requisito básico para a alfabetização e, consequentemente, para a aprendizagem da leitura e da escrita. A alfabetização só deve ser iniciada depois que a criança é capaz de pronunciar corretamente todos os sons da língua. A ampliação do vocabulário é outro pré-requisito importante.

A integração neurológica e a experiência vivida pela criança promovem o desenvolvimento de seu vocabulário passivo (palavras entendidas) e ativo (palavras faladas).

As manifestações de alterações no aprendizado da leitura e da escrita podem dar-se como desvios da forma e desvios do conteúdo da leitura e da escrita.

Guia extraordinário que vai te trazer exercícios específicos para reeducação e tratamento dos distúrbios da leitura e escrita.


O fonoaudiólogo atua nesta área promovendo o entendimento da funcionalidade da escrita e da leitura, e no estabelecimento de uma relação satisfatória e prazerosa na elaboração, interpretação e organização de textos

Popular

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Contato

Contato

Newsletter